Festa infantil: como escolher um tema diferente

O tema dessa festa diferente foi a estampa do tecido (bandana)!
 
Assim que publiquei as fotos da festa de matrioskas da minha filha Bruna, passei a receber muitos e-mails pedindo dicas sobre o tema que utilizei… e foi interessante notar o quanto quem escreveria estava “preocupada” em preparar uma festinha “diferente” para o(a)  filho(a). 
 
Entendo porque compartilho desse interesse. Acho bacana fugir do comum, seja no tema, seja em alguns ou muitos detalhes da festa, para garantir uma festinha personalizada e, principalmente, porque acredito que os convidados se sentem prestigiados ao notarem o carinho que com cada detalhe foi pensado para recebê-los. 
 
Sei, também, que a escolha do tema é opcional para as mães de crianças de 1 ou 2 anos, no máximo, já que a influência na escolha do tema tende a ser crescente por parte das crianças maiores, que acabam escolhendo sempre aquilo que está “na moda”. 
 
Também registro que o diferente, nem sempre é o mais bonito e interessante. E que o diferente, também, não é nem mais caro, nem mais barato. 
 
Exemplificando, quero dizer que um tema que está super na moda para festas de meninos, por exemplo, é o “Pequeno Príncipe”. Eu adoro esse tema poético e singelo, tanto é que, há 5 anos atrás, o escolhi para decorar o quarto do meu irmãozinho. No entanto, não se pode mais dizer que se trata de um tema diferente, visto que já é possível encontrar peças para aluguel sobre ele. Mas, é importante dizer, também, que apesar de não ser muito diferente, é um tema bacana se a organizadora da festa souber aproveitar, principalmente, a poesia de Saint-Exupéry. 
 
Da mesma forma, o tema da Galinha Pintadinha já está mais do que comum e, ainda assim, penso que seja possível utilizá-lo para fazer festas diversas, desde a tradicional com mesa alugada já montada com bonecos de isopor, eva e/ou espuma (ui!) até aquelas com mesa provençal, clean e bonecos 3D de biscuit (super reais e fofos!). 
 
Sobre os gastos, é importante dizer que o tema não tem relação direta com o valor da decoração. É possível escolher um tema não-comercial e ter que confeccionar e personalizar a festa toda, já que não será fácil encontrar peças disponíveis para aluguel. Assim como é possível que a mãe escolha um tema que está super na moda e que acabe gastando menos já que muitas casas de festa terão uma mesa montada com o tal tema para aluguel. 
 
DICAS
 
- Se você ou seu filho escolheram um tema tradicional/comercial, seja inovadora na decoração, criando mimos diferenciados, convites criativos, lembrancinhas úteis etc. 
 
- Se você quer inventar um tema inovador, visite sites especializados no assunto, no Brasil e exterior. A internet é inspiradora. Sites que eu recomendo: Festejar é Preciso, Alguma Bossa, Encontrando Idéias e Martha Stewart
 
- Se a festa vai receber muitos bebês, é interessante oferecer mais conforto para as mães que estão retomando a vida social. Criar um fraldário personalizado (como eu fiz), inventar um espaço para amamentação e/ou oferecer comidinhas que as crianças possam comer é bem simpático. 
 
- Fuja de tudo que está muito na moda e tente pensar em algo que tem a ver com a família ou a criança para “inventar” um tema diferente. Nesse contexto, acho interessante escolher o animal que a criança gosta, uma fruta ou objeto que ela curte bastante, um hobby etc. Para se inspirar, vejam as festas de macaquinho (aqui) e de melancia (aqui) que duas blogueiras mães que eu curto fizeram recentemente.
- Ser eco-consciente é chique e responsável, já que é obrigação de mãe fazer sua parte e ensinar sobre proteção do meio ambiente para os filhos. Definitivamente, festas que acumulam muito lixo não reciclável estão fora de moda!

- Oferecer comidas saudáveis e evitar frituras é interessante. Minha dica é substituir a famosa e horrorosa mesa de guloseimas por uma mesa de frutas, salada de frutas, gelatinas etc, … e oferecer sucos naturais e coloridos no lugar dos refrigerantes.

- uma “festa diferente” tem que ter um toque artesanal em um ou muitos detalhes. É bacana ouvir a mãe que organizou a festa dizer “eu que fiz” e isso, realmente, dá um toque diferenciado nas festinhas. Vejam, aqui, as dicas DIY que já demos aqui no blog.  

RESUMO: ainda que o tema não seja incomum, é possível ser “diferente” em muitos detalhes da festa!

RoteiroBaby

Comentários

  1. Olá Iza,

    Como você, eu também prefiro os temas que fogem do comum, além de adorar pôr a “mão na massa” e fazer eu mesma. Minha filha fez um ano no início de setembro e teve 2 festas: uma na cidade da minha mãe na PB ( Campina Grande) e outra aqui para os amigos mais próximoa. A minha mãe trabalha com decoração e fez quase tudo da festa da Mariana, que foi de boneca, a daqui eu resolvi fazer quase tudo também: dos convites aos cupcakes, toda a personalização e decoração da festa, só não fiz o bolo e os salgados. O tema foi Arco-íris. O resultado está no meu blog: tempodefestejar.blogspot.com

  2. Adorei ser citada com referência.
    Fabiola.
    http://blogencontrandoideias.blogspot.com/

  3. tatiane amaral diz:

    boa noite

    vc faz festa em manaus

Deixe seu comentário

*